Toda medida ainda é pouco

Há dez anos eu fui assistir um espetáculo de teatro dirigido por Lázaro Ramos, “NAMÍBIA, NÃO!” Aldri Anunciação. Nessa época ele já era um grande nome na cena cultural do Brasil e isso impulsiona mais ainda para assistir um espetáculo assim. Depois, tem a sinopse que era altamente válida em sua discussão. Um espetáculo maravilhoso. Amei. Inclusive somei muitas das formas e discussões do texto. 11 anos depois chega nas telonas o filme inspirado no respectivo texto com elenco fortíssimo e mantendo a direção primorosa, pontual e forte de Lázaro Ramos.

“MEDIDA PROVISÓRIA” é um filme que traz uma discussão violenta em dias pontuais para discussões violentas como essa. A princípio fala de racismo. Uma medida provisória que obriga toda pessoa com traços e descendência africana a ser expulso do Brasil e ir pra África. Daí o título do espetáculo, por ser um dos países de destino no continente africano; Namíbia. Mas a questão é exatamente o absurdo da ideia de que pessoas que descendem dos africanos sequestrados de sua pátria mãe para serem escravizados noutros mundos não receberem uma retratação e sim a imposição de serem expulsos de sua atual pátria. Já que nasceram no brasil e não em algum país do continente africano.

Então temos esses dois irmãos; o advogado Antônio, interpretado por Alfred Enoch (“Saga Harry Potter”) que é casado com a médica Capitu, interpretada por Thais Araújo (“O Roubo da Taça”, “O Maior Amor do Mundo”) e o jornalista livre André, interpretado por Seu Jorge (“Marighella”). Diante de toda a resistência e expulsão de pessoas de “melanina acentuada”, os dois protagonistas resistem dentro de seu apartamento, salvos por uma lei que impede que a polícia invada o recinto sem um mandato. Enquanto outros negros se escondem em bunkers chamados de “afrobunkers” em uma clara referência aos quilombos dos antepassados em uma tentativa de sobreviver e resistir.

O discurso do filme é pontualmente assertivo e deixa bem claro onde está a questão social sem ficar expondo ela de forma agressiva pra além do necessário. Com uma trilha sonora que só acrescenta e faz perder o fôlego com músicas como as de Elza Soares, MEDIDA PREVENTIVA é um filme único que nos faz refletir onde está nosso papel em tudo isso que ocorre dia a dia. Os crimes, as injúrias, o preconceito, as atrocidades que são cometidas contra pessoas de “melanina acentuada”, como é dito no filme é que é a questão principal, pois, quando a cor da pele se torna um fator para destoar uma pessoa de seu meio social, o erro está para além de um termo. Está na alma.

NOTA:

Leave a comment